domingo, 20 de julho de 2008

Isso é futebol arte!


Ronaldinho Gaúcho, Cristiano Ronaldo, Messi... todos os três, dentre tantos outros futebolistas, são exemplos claros de habilidade com a bola nos pés. Porém, Rémi Gaillard, um famoso humorista francês, mostra que pode facilmente entrar nessa lista.



Conhecido como o Jackass francês, em referência ao programa americano de "pegadinhas bizarras", Jackass, da MTV, Rémi Gaillard ficou famoso em 2002 ao entrar em campo com os jogadores do Lorient, como se fosse um atleta da equipe na final da Copa da França. Ele participou das comemorações e, de quebra, cumprimentou o então presidente da França, Jacques Chirac, e deu entrevista aos jornalistas como se fosse realmente um jogador do Lorient (foto acima).

Mas as suas pegadinhas se tornam irrelevantes se comparadas com sua incrível habilidade com uma bola de futebol. Abaixo, estão três vídeos: os dois primeiros Rémi mostra seu talento, e o terceiro é o vídeo que ele se passou por um jogador do Lorient. Vale a pena conferir!


video


video


video

domingo, 13 de julho de 2008

Qual será o destino de Ronaldinho?

Parado há mais de 6 meses por causa de uma contusão na perna esquerda, Ronaldinho Gaúcho encontra-se diante de uma das perguntas mais complicadas de sua carreira: qual será seu destino nesta temporada?

Participação nas Olimpíadas, saída do Barcelona, rumores envolvendo sua transferência para Milan ou Manchester City... nada está concretizado, e seu pensamento gira em torno de recuperar sua boa forma.



Ronaldinho Gaúcho, assim como outros craques brasileiros, iniciou sua carreira no futebol de maneira meteórica. Aos 17 anos ganhou o campeonato brasileiro sub-17 pelo Grêmio, aos 18 ele já era titular do time do Grêmio e encantava o Brasil com suas jogadas. Aos 19 anos, estreou na seleção brasileira na Copa América, e foi o protagonista do título do Campeonato Gaúcho, marcando o gol da vitória contra o Internacional, em 1999.

Em 2001 ele se transferiu para o Paris Saint-Germain, após assinar um contrato "às escondidas" com o clube francês. O Grêmio acabou sem lucro na sua transferência (vale lembrar que o PSG teve que pagar 4,5 milhões de euros ao Grêmio, segundo uma determinação da FIFA). Depois de duas temporadas, ele é vendido ao Barcelona pela quantia de 27 milhões de euros, onde se torna ídolo até então.

Na temporada passada, depois de sofrer uma tendinite na perna esquerda(1 de janeiro de 2008), Ronaldinho teve a contusão agravada e ficou mais de 6 meses de fora dos gramados. Com a crise instalada no clube catalão, que culminou com a saída do técnico Frank Rijkaard, o jogador brasileiro encontra-se em sua pior relação com o Barcelona nessas 4 temporadas que ele esteve na Espanha.
O novo técnico, Josep Guardiola, fez questão de dizer que não gostaria de contar com Ronaldinho Gaúcho para a próxima temporada. Essa declaração aliada à falta de forma de Ronaldinho Gaúcho com uma pitada de interesse, de ambas as partes, por uma transferência, nos leva a crer que a saída do Barcelona está cada vez mais próxima.

A grande dúvida no momento é qual será o destino de Ronaldinho Gaúcho. Como ninguém pode responder esta pergunta (a não ser os dirigentes do Barcelona ou o próprio jogador), nada melhor do que analisar qual seria o melhor para o gaúcho, independente do clube que ele irá jogar.

É importante que fique claro que a permanência de Ronaldinho no clube não pode ser totalmente descartada. Mas com a proposta de reformulação do time feita por Guardiola, com nomes como Messi, Bojan e Henry, além do interesse em outros jogadores de frente, definitivamente essa não é a melhor opção para o brasileiro no momento.

Nessa semana, Ronaldinho Gaúcho confirmou sua extrema vontade de participar das Olimpíadas em agosto, mas o Barcelona vetou sua presença e publicou um comunicado dizendo que o jogador deve se apresentar amanhã (segunda-feira) no clube, para começar os treinamentos da pré-temporada.
Ao que tudo indica, o brasileiro não irá se apresentar amanhã, continuando com sua preparação física aqui no Brasil. Com isso, acreditar que o jogador irá continuar no clube é difícil.



Dois times estão na "briga" pela contratação de Ronaldinho: Milan e Manchester City. Este, já fez uma proposta oficial de 30 milhões de euros, que está sendo analisada pelo Barcelona. Para o City, nota-se que dinheiro não é problema, mas para assegurar o Gaúcho no campeonato inglês, talvez seja necessário mais do que isso. Por mais que haja investimento, por mais que o City contrate Ronaldinho, é difícil acreditar que o time irá brigar pelas primeiras posições do inglês, consolidadas por Manchester United, Chelsea, Arsenal e Liverpool. A transferência para Manchester pode ser o início de um final de carreira fracassado...


Contudo, segundo o jornal "Gazzetta dello Sport", Ronaldinho está muito próximo de um acerto com o Milan. De acordo com a reportagem, o jogador e o clube já teriam acertado as bases salariais(6,5 milhões de euros anuais com contrato até 2010), e o negócio deve acontecer nas próximas 48 horas. Pasmem, o acordo ficaria em torno de 15 milhões de euros.
A transferência para o Milan deve acontecer, mas não será por "míseros" 15 milhões de euros. No clube italiano, com a devida preparação física e psicológica, "R10" terá condições de brilhar novamente.


Enquanto nada é definido, Ronaldinho Gaúcho realiza treinamentos diários em Porto Alegre, sob a coordenação do preparador físico da seleção brasileira, Paulo Paixão, afim de retornar à sua boa forma e poder participar das Olímpiadas em alto nível.

No mais, ao invés do título da postagem, fica a pergunta: "Qual o melhor destino para Ronaldinho?"

O blog está de volta!

As duas últimas postagens do blog "Futebol em Palavras" aconteceram nos dias 25 e 29 de fevereiro, respectivamente. Antes disso, somente em novembro de 2007 observou-se uma postagem...

Natal, ano novo, férias, carnaval, universidade e festas do são joão são algumas coisas que podem explicar tamanha ausência, mas não irão. De qualquer forma, através desta postagem, venho informar que o blog está de volta.

Com um destaque maior para o futebol internacional e para as categorias de base (jovens promessas), as postagens serão freqüentes daqui pra frente, na medida do possível.

No mais, espero que voltem a acessar o blog e, claro, deixar seus comentários...
:D

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

A rebeldia de Adriano - parte 1

Em apenas dois dias, Adriano, atacante do São Paulo, não cumpriu a regra do clube e apareceu sem a camisa do time, quando deveria estar uniformizado. Teve seu carro (um Porshe) batido por um amigo. Chegou atrasado no treino, não participou do treino, saiu do Centro de Treinamento sem permissão e, para finalizar, ameaçou agredir um fotógrafo na saída do CT da Barra Funda.

Adriano, solução ou problema?


Quinta-feira, 28 de fevereiro: A delegação do São Paulo desembarca da viagem de volta da Colômbia, após o empate em 1 a 1 com o Nacional de Medelín, pela Libertadores. Todos os jogadores e a comissão técnica do time estavam uniformizados, menos o atacante Adriano.

Sexta-feira, 29 de fevereiro: Adriano chega 28 minutos atrasado no treino, foi direto ao Reffis (Reabilitação Esportiva Fisioterápica e Fisiológica) para um suposto tratamento físico, foi para o campo, retornou para o Reffis e simplesmente foi embora, sem a autorização do clube. Na saída, assediado pelos fotógrafos, Adriano ainda teria ameaçado agredir fisicamente um fotógrafo.

Resultado: O São Paulo divulgou que Adriano será multado em 40% do seu salário pelo atraso de 28 minutos e pela saída do treino sem a permissão do clube. O clube, representando pelo seu Presidente, Juvenal Juvêncio, terá uma conversa neste sábado pela manhã com o jogador, para que seu futuro no clube seja decidido. Segundo o vice-presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros, nem sequer uma rescisão contratual está descartada.


Diversos são os jogadores do futebol mundial reconhecidos pelo seu gênio rebelde, Adriano é um deles. Na Inter de Milão, aonde chegou a ser considerado um dos melhores jogadores do mundo, Adriano teve uma série de problemas de "indisposição" com o time. Depois de amargar um bom tempo na reserva (ou sequer isso) do time, ele foi emprestado ao São Paulo por 6 meses, com o intuito de "melhorar" seu lado psicológico.
Para o clube paulista, Adriano é uma excelente contratação. Jogador muito badalado, de qualidade comprovada e em uma posição que o time tem certa carência. Mas até que ponto Adriano deixa de ser uma solução e passa a ser um problema? Os problemas acima são indícios de que esse "ponto" pode estar mais próximo do que o São Paulo imaginava...

O São Paulo Futebol Clube possui excelência quando se trata da recuperação de jogadores lesionados. Com uma admirável estrutura física e profissionais competentes, o clube é referência no assunto. Mas desde quando ele consegue reabilitar "jogadores problemáticos", como Adriano? Ou o próprio Carlos Alberto (ao que tudo indica, é questão de tempo para que os problemas com ele surjam...). Talvez o time tenha se precipitado ou mesmo tenha sido prepotente ao pensar que, no "ambiente São Paulo", Adriano seria um jogador com atitudes exemplares, blá blá blá.

A multa de 40% não significará muito para Adriano, mas a conversa com o presidente do clube talvez tenha efeito. É necessário deixar bem claro para "Imperador" que o São Paulo tem muito mais para lhe ajudar do que o oposto. Hoje ele tem 25 anos e pode se dar ao luxo de situações como estas, mas daqui a 5 anos tudo pode ser diferente. De qualquer forma, se tudo der certo, a dupla Adriano/São Paulo pode sim render belos frutos para o clube paulista. Eis que a dúvida continua... solução ou problema?

>> A postagem recebeu o título "A rebeldia de Adriano - parte 1", porque este blogueiro acredita que, se Adriano continuar no São Paulo, outras partes aparecerão...

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Final da TG: Flamengo 2 x 1 Botafogo

"... Raça, amor e paixão, oh meu mengoo...". O Flamengo conquistou neste domingo a 18ª Taça Guanabara de sua história. Jogo disputado, com alta qualidade técnica e tática, penâlti, expulsões, golaço nos acréscimos... no fim, 2 a 1 para os rubro-negros, atuais bicampeões da competição. PARABÉNS.


Neste domingo, 24 de fevereiro, o estádio do Maracanã recebeu um público de 84 mil espectadores (74 mil pagantes) que assistiram a final da Taça Guanabara entre Flamengo e Botafogo. Com o jogo empatado em 1 a 1 até os acréscimos do 2º tempo, Diego Tardelli marcou um golaço e deu a vitória para o Urubu.
O espetáculo pode ser dividido em duas partes: o belo futebol jogado pelos dois times e a questão arbitragem/choro do Botafogo.

Mais do que comentar sobre erros ou acertos da arbitragem, é necessário falar sobre o futebol apresentado pelos times em campo.
O Flamengo tem dois dos melhores laterais que atuam no país, Leornado Moura e Juan. Ibson no meio de campo mostrou-se sólido, com excelente visão de jogo, bons passes e paciência na hora certa. A base do time 3º colocado do campeonato barsileiro de 2007 foi mantida (Bruno, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim, Jônathas, Souza, Obina...), a chegada de reforços (Kléberson e Diego Tardelli), o técnico Joel Santana e, principalmente, a torcida, provam que o Flamengo tem capacidade suficiente para figurar como um dos melhores times do futebol brasileiro neste ano, senão o melhor.
Já o Botafogo tem o respaldo de ter Cuca no banco de reservas, sem dúvidas, um dos grandes técnicos brasileiros da atualidade. É só lembrar que, no começo do ano, o Botafogo praticamente não tinha time. Wellinton Paulista, Zé Carlos, Alessandro, Adriano Felício... todos jogadores quase "desconhecidos", que compuseram um time capaz de brigar de igual (ou melhor) com Fluminense e Flamengo, times que mantiveram uma base ou que gastaram muito em reforços.
Velocidade, eficiência tática e belíssimas jogadas abrilhantaram o futebol apresentado pelos times no clássico que, infelizmente, ficou marcado pela arbitragem/encenação do Botafogo (pós-jogo).

Sob o aspecto da conhecida frase "Há coisas que só acontecem com o Botafogo", o jogo teve dois momentos que causaram revoltas por parte dos alvinegros: o primeiro foi a marcação do pênalti que Ferrero cometeu em Fábio Luciano. E o segundo foram as expulsões de Zé Carlos e Lúcio Flávio. Ambos assinalados pelo árbitro da partida, Marcelo de Lima Henrique.
O resultado foi uma cena protagonizada pelo elenco do Botafogo (jogadores, técnico e presidente) em que Lúcio Flávio e Túlio desabafaram, Cuca quase pediu demissão e, o mais impressionante, o presidente do clube, Bebeto de Freitas afirmou que estava renunciando do cargo (em nota oficial o clube informa que Bebeto não renunciou, o presidente encontra-se de licença por prazo indeterminado).

Ora, não há o que reclamar. O pênalti realmente aconteceu e as expulsões foram absolutamente justas. E se, durante a partida, houve erros da arbitragem, tenham a certeza que não foi por mal-intenção do árbitro. Em outros lances, aliás, o Flamengo foi o prejudicado, como no impedimento mal marcado do Obina, ou na não expulsão de Ferrero, que cometeu uma falta violenta em Cristian.
E mais, é bom lembrarmos aa final do campeonato brasileiro de 1995, contra o Santos. A final da própria Taça Guanabara, contra o América, agora em 2006. Ou mesmo o jogo contra o Atlético Mineiro, no ano passado. Em todos esses jogos, o Botafogo foi visivelmente beneficiado e, em nenhum, houve uma reação tão exacerbada como a presenciada ontem, após o jogo.

O Botafogo não vai perder seu técnico, não vai perder jogadores, seu presidente não renunciará. A Copa do Brasil e a Taça Rio podem ser conquistadas, mas para isso, é preciso que se aprenda uma lição: às vezes, a razão deve falar mais alto do que a emoção. Calma Fogão, calma!

sábado, 3 de novembro de 2007

5 - 3 - 3: Os dígitos de um campeão

Com 4 rodadas de antecedência, o São Paulo conquista o Brasileirão pela 2ª vez consecutiva e torna-se o único pentacampeão do torneio. Todas as qualidades atribuíveis ao time podem ser resumidas em uma só palavra: competência.
Os dígitos do título, 5-3-3, indicam o pentacampeonato brasileiro, o tricampeonato da Libertadores e o tri no mundial Interclubes. Com isso, fica uma pergunta no ar: Teremos uma dinastia do Tricolor Paulista daqui pra frente?
Eu não duvido.


São Paulo Futebol Clube - Pentacampeão brasileiro

O futebol brasileiro costuma se distinguir do futebol europeu não por uma qualidade inferior, mas pela capacidade da maioria dos times brigarem pelo título dos campeonatos. Enquanto na Inglaterra, Espanha, Itália... os primeiros lugares têm "clubes definidos", no Brasil é normal um time ser campeão em um ano e lutar pelo rebaixamento dois anos depois, vide o Corinthians como exemplo claro. Aliás, muitos preferem os campeonatos brasileiros aos europeus exatamente pela igualdade técnica que os clubes caseiros possuem. Mas neste século XXI algo inusitado acontece: a hegemonia de um só clube no âmbito nacional.
Hegemonia, dinastia, supremacia e afins, todas são palavras muito fortes quando se trata de futebol brasileiro. Entretanto, os títulos conquistados recentemente pelo São Paulo, aliados a uma série de qualidades que o clube possui e, principalmente, a falta de times que possam estar a sua altura, nos remete ao pensamento: Sim, o Tricolor terá totais condições de ser hegemônico no cenário nacional.

Sem mais delongas, o blog enumera 5 qualidades que fizeram o São Paulo um pentacampeão brasileiro e que deixam este blogueiro com uma sensação de "essa é a década do São Paulo".

# Seto
r político-administrativo
Juvenal Juvêncio, presidente do clube, é um dos grandes responsáveis pelo sucesso do São Paulo até aqui. Aliado a uma leva de excelentes profissionais, que vai do olheiro ao fisioterapeuta, ou do roupeiro ao técnico Muricy Ramalho, Juvenal Juvêncio estabelece uma sólida e invejável administração do clube. Não à toa, é quase impossível falar-se em crise no São Paulo. E mesmo que elas aconteçam, como no início do ano, são contornadas com o máximo de profissionalismo e competência.
No que se refere à política de contratações, o clube é referência a qualquer um. Somente no ano de 2007, o Tricolor Paulista perdeu 12 jogadores (vendidos ou lesionados seriamente), dentre eles, destaque para: Mineiro, Josué, Ilsinho, Edcarlos, Lenílson e Reasco. Somado a isso, têm-se alguns problemas notáveis, como a insatisfação de Júnior ou Souza com a reserva, a questão da sexualidade de Richarlyson, e as especulativas divergências que envolviam Muricy e Juvenal Juvêncio.
Contudo, todos esses problemas foram sanados com paciência e sabedoria, principalmente no que se refere à contratações. Sem grandes alardes, o clube contratou jogadores e efetivou jogadores de base, o que foi de suma importância para o sucesso em 2007. Dagoberto, Breno, Richarlyson e Hernanes, todos craques, titulares, e que surgiram no time através de um grande trabalho desempenhado por seus comandantes. Menção honrosa a Muricy Ramalho, comentado adiante.
Toda essa competência não lhe é atribuída à toa. Mal conquistou o campeonato brasileiro, e a direção do São Paulo já busca reforços para o próximo ano, em que a Libertadores será o objetivo claro. Joílson, do Botafogo, já aparece como um nome certo no São Paulo 2008. Outros virão...

# Infra-estrutura
O estádio Cícero Pompeu Toledo, mais conhecido como Estádio do Morumbi, é grandioso por ser o maior estádio particular do Brasil. Mas não pára por aí. Com uma estrutura que lembra os bons estádios do exterior, o São Paulo tem no Morumbi um grande parceiro esportivo-financeiro. Ao colocar 50, 60, 70 mil torcedores em seu estádio, foram poucos os times na história que conseguiram êxito sobre o Tricolor. Quando não está "sob o domínio" dos jogadores, o Morumbi é alugado, trazendo bons lucros ao clube. Mas até então, um estádio todo mundo tem.
O São Paulo tinha que ser diferente, tinha que ter o algo mais... e tem. É o Centro de treinamento Frederico Menzen, conhecido como o C.T. da Barra Funda. Construído em 1988, e reformado por diversas vezes desde então, o complexo de treinamento do São Paulo se encaixa em um dos mais modernos e bem estruturados da América Latina. No C.T., o São Paulo põe em prática sua supremacia no referente ao profissionalismo médico, por exemplo.
Vale ressaltar que é a partir do belo trabalho no Centro de Treinamento que o São Paulo obtém grandes resultados em suas categorias de base. Até pelo fato do time titular ser tão bem montado e sucedido, nós não temos a oportunidade de ver os meninos do são Paulo, formados no clube, atuarem na equipe principal. Contudo, os resultados das categorias inferiores vêm a toda hora. Jovens como Sérgio Mota (meio campista), Fabiano (goleiro), Jackson (lateral) , Léo Gonçalves (atacante), Thiago Lima (atacante) ... todos têm condições de disuptar uma vaga no time principal.


# Comissão técnica
Um dos grandes responsáveis pelo sucesso do time é o técnico Muricy Ramalho. Dirigir o São Paulo, ao contrário do que muitos pensam, não é fácil. É preciso ter determinação, vontade de trabalhar, seriedade, sabedoria tática, espírito forte, capacidade de atravessar as situações mais difíceis e, acima de tudo, uma competência invejável. Bingo. Muricy Ramalho tem muito dessas características. Como forma de solidificar suas qualidades, nos últimos 7 anos, Muricy conquistou 7 títulos (destaque para o bicampeonato brasileiro) , e "4 vices": vice-campeonato paulista, vice-campeonato brasileiro, vice-campeonato da Copa Libertadores e um vice-campeonato da Recopa Sul-Americana.
E como sempre o São Paulo tem que ter o seu diferencial, compõem a comissão técnica do time, nomes de reputação acima da média: Milton Cruz e Tata (auxiliares técnicos), Carlinhos e Sérgio Rocha (preparadores físicos) e José Sanchez (médico)... com certeza eles não são encontrados em qualquer centro de treinamento.

# Qualidade técnica - jogadores
Ter vários jogadores, qualquer um tem. Ter um elenco de qualidade, muitos têm. Mas o que difere o São Paulo dos demais é aliar quantidade e qualidade em seu plantel, reconhecidamente o melhor do Brasil. A maior prova disso é o fato dos jogadores do Tricolor estarem entre os melhor em suas devidas posições.
Para goleiro tem-se Rogério Ceni, que juntamente com Cavalieri-PAL, Felipe-COR e Bruno-FLA, compõe a lista "top 4" dos guarda-redes do campeonato. Para a defesa, ver "Destaques/surpresas de um campeão", logo abaixo. Nas alas/laterais, apesar da polivalência da maioria de seus jogadores, que costumam atuar por diversas posições, nomes como Jorge Vágner, Souza e Leandro são destaques.
Com Hernanes e Richarlyson, o setor de volantes do São Paulo volta a grandioso, e com uma diferença clara: eles são bem mais jovens que Josué e Mineiro. Do meio de campo para frente, encontramos o setor "mais fraco" do time. Ainda assim, Dagoberto e Aloísio, por exemplo, são sempre lembrados quando se discute os destaques ofensivos do Brasileirão.
E caso ainda seja pouco, surgem outros bons nomes: Diego Tardelli, Hugo, Júnior, André dias, Borges, Bosco...


# Destaques/surpresas de um campeão
Defesa: Até a 34ª rodada, a defesa sofreu apenas 13 gols no campeonato. Incrível! Composta pelos melhores zagueiros do Brasileirão - Alex Silva, Miranda, Breno e André Dias - (vale lembrar o nome de Thiago Silva, do Fluminense) - a defesa foi o grande destaque do time campeão brasileiro de 2007. A extraordinária eficiência ao defender, também com belas atuações do goleiro Rogério Ceni, ainda contou com numerosos gols lá na frente, seja de cabeça, de chutes fora da área ou mesmo de faltas cobradas por Rogério.
Sem dúvida alguma, o melhor zagueiro deste ano será algum dos citados acima. Nada mais justo.
Breno: Revelação do campeonato. Com recém completados 18 anos de idade, o jovem zagueiro do São Paulo despontou nas divisões de base do clube e, com a saída de Edcarlos, teve oportunidade de mostrar seu futebol. Com grandes atuações, seu nome já é citado em especulações com o poderoso Real Madrid... é mais dinheiro que deve chegar aos cofres do Tricolor.
Hernanes - Outro jovem, craque, e que mostrou seu futebol na hora certa. Com as saídas de Mineiro e Josué, todos, inclusive quem vos fala, acreditavam que iria demorar um bom tempo para que o melhor setor de volantes do Brasil retomasse seu cargo. Isso ficou ainda mais claro com as contratações de Frédson e Fernando, um tanto quanto mal-sucedidas. Eis que surge um "menino" de 22 anos, contratado junto ao Santo André, mas que já tinha passagem pelo Tricolor, e que tem todos os méritos de ser tachado como o melhor volante do Brasil no momento. Hernanes é natural do Recife, bom marcador, grandes passes, excelentes chutes de fora da área... qualquer comparação com Juninho Pernambucano seria mera coincidência?


Ao São Paulo, parabéns pela competência e o pelo conseqüente Brasileirão 2007.

Aos demais times: preparem-se. É bom se espelhar no São Paulo e em suas qualidades na tentativa de montar um time que possa barrar a "hegemonia tricolor" que se aproxima. Não, não é tão difícil se "igualar". Basta ser competente.

domingo, 28 de outubro de 2007

MILAN - panela velha faz comida boa?

Neste domingo, 29 de outubro, o MILAN perdeu mais uma partida no campeonato italiano 2007/2008. A derrota desta vez foi para a rival Roma, por 1 a 0, em pleno San Siro. Com isso, os rossoneros permanecem com 10 pontos em 9 jogos disputados, e ocupam apenas a 13ª posição.
Atual campeão da UCL, o time de Carlo Ancelloti enfrenta uma crise que deve pendurar por um bom tempo. O excesso de jogadores acima de 30 anos e a conse
qüente escassez de jovens no elenco são os principais problemas dos rubro-negros italianos. Veja adiante por que no Milan, panela velha não faz mais comida boa...

Depois da saída de Shevchenko, vendido ao Chelsea no começo da temporada 2006/2007, todos acreditavam que iria demorar um pouco para que o Milan retornasse ao topo do futebol mundial. Porém, mesmo com um elenco já desgastado (leia-se envelhecido), o time surpreendeu até os mais otimistas com a conquista da Uefa Champions League. Apesar do começo cambaleante no torneio, o time se sobressaiu nas fases finais e foi campeão sob o respaldo das belas apresentações do "quarteto fantástico" formado por Gattuso, Pirlo, Seedorf e seu grande astro, Kaká. O brasileiro, possivelmente o melhor jogador em atividade, foi o grande responsável pela grandiosidade do Milan na temporada que se passou. Mas será que sua fase "divina" continua?

Na atual temporada, entretanto, o time passa por uma crise que se reflete na sua situação no Calccio. Por que o atual campeão europeu é apenas o 13º colocado na competição nacional? Qual é o grande problema do Milan? A resposta perece bem simples: a falta de uma reestruturação de seu elenco. No mercado de transferências, times como Real Madrid, Manchester United, Liverpool e Barcelona apostaram alto e contrataram diversos jogadores tanto para o time titular quanto para a composição do elenco reserva. Já o técnico do Milan, Carlo Ancelotti, juntamente com o dono do clube, Silvio Berllusconi, preferiram "economizar" e trouxeram apenas os brasileiros Ronaldo, Emerson, Alexandre Pato e Digão, além do quase desconhecido Ibrahim Ba.


Com isso, ficou claro que o Milan começaria a temporada 2007/2008 com um time desmembrado e conquistar alguma coisa dependeria, em suma, de seu meio de campo. É então que surge outro problema: Kaká, Seedorf e Pirlo voltaram à condição de "jogadores normais". Sim, eles ainda continuam a apresentar um futebol de altíssima excelência, mas repetir o sucesso da temporada passada é querer demais. Aliado à "falta de jogadores", têm-se a contusão de Ronaldo e Paolo Maldini, a impossibilidade de jogo de Pato e a má fase do goleiro Dida, que até se envolveu em um caso ridículo de simulação de agressão.
A bola de neve só vai aumentando...

E se transforma em avalanche quando observamos o envelhecimento do time. Com aproximadamente 30 jogadores, o elenco do Milan possui uma média de idade superior a 30 anos, um absurdo. O Arsenal, por exemplo, com um plantel de 25 jogadores, possui uma média de apenas 24 anos. Ter a experiência de Paolo Maldini, 39, é excelente. Mas contar com 8 jogadores de idade acima de 34 anos, dentre eles Cafu, Favalli e Ba Ibrahim, não é tão bom assim. Outros, como Brochi (31), Ambrosini (30) e Serginho (36), evidenciam que o Milan precisa de novas caras urgentemente. Sem contar que alguns craques do time, como Sedoorf e Nesta, têm mais de 30 anos.

Se o elenco quase não foi alterado, como pode um time tão criticado pela sua média de idade ser o atual campeão europeu? Vários fatores influenciaram a conquista do Milan, dentre eles, destaque para: abdicar do campeonato Italiano, "poupar esforços" na primeira fase da competição e possuir o melhor meio de campo do mundo, com Kaká e Seedorf supremos. Para esta temporada não se pode apostar no mesmo, ou não poderia. Ainda assim, o time do Milan tem um elenco recheado de grandes nomes que poderão surpreender, por mais uma vez, e levar o time às fases finais da UEFA Champions League, por exemplo. Kalac, Alessandro Nesta, Simic, Massimo Oddo, Jankulovski, Gattuso, Pirlo, Seedorf, Kaká, Gilardino e Inzagui. A formação é excelente, mas ninguém consegue jogar um campeonato com 11 jogadores.

A solução do Milan encontra-se em uma dupla bem definida: contratar jogadores de alto nível e apostar mais nas categorias de base do clube. Com a venda de Shevchenko e a conquista da Uefa Champions League, os cofres do Milan ficaram abarrotados de dinheiro, e concretizar esses três pontos não será tão difícil quanto se imagina.
Para colher bons frutos no futuro, é necessário um bom investimento nas categorias inferiores do clube. Contratar mais olheiros, melhorar as condições de treinamentos dos jovens, fornecendo todo o aparato necessário para que eles evoluam de modo correto e, principalmente, dar mais oportunidades no time titular para os jovens de 18, 19 e 20 anos que se formam no clube. É preciso investir mais na política de contratação de jovens promessas, o Arsenal que sirva de referência. Ora, muito melhor do que comprar o Alexandre Pato por 20 milhões de euros, é comprá-lo por 5 milhões, quando ele ainda tem 16 anos, e por aí vai.


Tudo indica que em janeiro, na segunda janela de transferências para clubes europeus, o Milan investirá pesado em contratações. Duas posições merecem atenção especial: guarda-redes e ataque.
No gol, o time tem Dida e Kalac, ambos com 34 anos. O brasileiro está em visível declínio técnico e, se não era de tamanha confiança em seu mais alto nível, não será agora que ele transmitirá tranqüilidade no gol rossonero. Kalac é outro que está longe de ser felicitado com a glória dos torcedores do Milan. Portanto, a contratação de um bom goleiro, de preferência jovem, é essencial.

No ataque o Milan possui seu maior problema. Sem sua grande referência há duas temporadas, Shevchenko, o time alterna jogadores (Gilardino e Inzagui, por exemplo), e nunca chega a um bom resultado. Ronaldo foi contratado como uma grande esperança, e que furada. O brasileiro se contundiu seriamente, por diversas vezes, e só deve jogar de novo em 2008. Alexandre Pato, por sua vez, é muito novo, prova disso é que, devida a sua idade, ele só poderá atuar a partir de janeiro. Aos poucos ele deve firmar-se como titular do time, mas não se pode confiar em um menino de 18 anos, não desta vez.
Gilardino poderá ser a grande surpresa e conseqüente salvação do Milan até o final do ano. Com boas atuações nos último jogos, o atacante terá sua derradeira chance de provar seu valor. Quanto será que ele vale?
Enquanto uns têm Henry, Drogba, Fernando Torres, Nistelrooy, Rooney... o Milan possui os já citados Gilardino e Inzagui. Um time da qualidade e responsabilidade do Milan não pode depender do meio de campo para marcar os seus gols. Para tanto, a contratação de um goleador urge a cada minuto.

As soluções são muitas e fáceis de serem alcançadas, mas somente em janeiro, quando as contratações estarão liberadas. Resta saber se, até lá, o time do Milan terá forças para se manter em condições reversíveis. Será possível um time enfrentar uma crise durante tanto tempo e com "alguns ajustes" voltar com "força total"?
Caso o time matenha uma regularidade até o fim do ano e assim acontecer uma reestruturação do plantel, pode esperar um Milan mais uma vez grandioso em 2008. No contrário, surgirá apenas a comprovação de que, no Milan, panela velha já não faz comida boa...


Especulações

Como o Milan já anunciou que vai às compras daqui pra frente, abaixo a lista de especulações do time até o momento. Em azul, as contratações que o blogueiro que vos fala coloca como possíveis de se concretizarem.

Amauri - Palermo
Boruc - Celtic
Cannavaro - Real Madrid
Zambrota - Barcelona

David Albelda - Valencia
Kim Kallstrom - Lyon
Ballack - Chelsea
Bianchi - Manchester City
Ronaldinho Gaúcho - Barcelona
Drogba - Chelsea

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

VASCO - Celso Roth cai e o "baixinho sobe"...

O treinador Celso Roth não treina mais o time do Vasco. Após uma longa seqüência negativa de resultados, o técnico não sustentou o comando do clube cruzmaltino. Para o seu lugar surge o atacante ROMÁRIO, ídolo do time, que assume o posto de técnico provisório. Surpresa?

Depois de não conquistar o campeonato carioca e ser eliminado precocemente da Copa do Brasil, o então treinador do Vasco, Renato Gaúcho, foi demitido pela diretoria do time. Para seu lugar, vários nomes foram especulados, mas foi Celso Roth o contratado. Os clubes cariocas em especial têm a mania de "rotacionar" determinados técnicos e o Vasco assim fez. Os torcedores e críticos em geral olharam com maus olhos, mas logo mudaram de opinião. O Vasco começou o campeonato muito bem e até pouco tempo atrás lutava fielmente por uma vaga na Libertadores 2008. Eles só não sabiam que tudo retornaria às expectativas inicias...

Até a rodada do Brasileirão, quando o time venceu o Náutico por 4 a 1, Celso Roth acumulava um aproveitamento de 60,32%, suficiente para continuar na briga do "G4". Mas a partir do mês de setembro, o time do Vasco tem um de seus piores aproveitamentos em campeonatos brasileiros, são apenas 5 pontos em 11 partidas disputadas, o que equivale a 15,15%. Sim, a demissão de Roth foi justa e até mesmo tardia... O Celso Roth, aliás, treinou o Vasco em 37 partidas, com 15 vitórias, sete empates e 15 derrotas.

Celso Roth fora do Vasco não é novidade, mas ter Romário no comando do time, ah, isso é. Sim, pasmem, no próximo jogo do Vasco, contra o América-MEX, válido pela Copa Sul Americana, o baixinho Romário será o "treinador interino" da equipe. Como não é treinador profissional, o preparador físico Mauro Brito assinará oficialmente como técnico do time.
Sobre a situação de ser treinador, Romário diz que a chance dele "não tomar gosto" pela profissão" é de 99%. É esperar para crer.


As especulações sobre quem será o próximo técnico efetivo do Vasco são as mais diversas possíveis. Antônio Lopes, treinador que foi campeão brasileiro com o time em 1997 e da Libertadores em 1998, é o nome mais cotado. “Sempre que um treinador sai, o meu nome é cogitado. Trata-se de um clube em que me identifico muito e tenho uma história”, disse o treinador. Contudo, vários nomes são especulados, dentre eles, destaque para: Mauro Galvão, Alexandre Gallo, PC Gusmão, Geninho e Valdir Espinosa.

Talvez seja a hora de pensar em um técnico que possa fazer um trabalho a longo prazo no clube, assim como Cuca no Botafogo, Mano Menezes no Grêmio e Caio Júnior no Palmeiras. Se isso irá acontecer? Duvido muito. A saga do Vasco é continuar na teimosia da "rotação de técnicos" que tanto prejudica os times brasileiros.

Palpites:

*Roberto Fernandes: nome "ideal" para o Vasco.
*Geninho: treinador "disponível" mais adequado.
*Antônio Lopes: treinador mais provável e menos indicado.
*Mauro Galvão: a surpresa

sábado, 20 de outubro de 2007

Bolton: a lanterna acendeu...

Na temporada 2006/2007 o Bolton apresentou um futebol pragmático e que dava resultado. Não à toa, o time terminou a Premier League em 7º lugar e conseguiu a classificação para a Copa da Uefa. Neste início de temporada 2007/2008 tudo parece diferente. Depois da derrota deste sábado para o Arsenal por 2 a 0, em jogo válido pela 10ª rodada do Inglês, o time encontra-se na última posição da tabela e bastante cotado para permanecer na zona de rebaixamento. Será?


No meio do ano, antes de começar a temporada 2007/2008, o time do Bolton Wanderes anunciou a saída do seu competente treinador Sam Allardyce, que foi para o New Castle. Com isso, todos sabiam que uma queda de produção seria inevitável, só que ninguém imaginou que seria tanto...
Para o lugar de Allardyce, o time efetivou seu treinador adjunto, o inglês Sammy Lee, até então inexperiente como treinador. Resultado? A demissão do técnico um tempo depois e a lanterna da competição após a décima rodada.

Com um início assustador (negativamente) com 3 jogos e três derrotas, muito se especulou. "O time está se poupando para a Copa da Uefa", "Foi azar", "É questão de tempo para o novo treinador mostrar seu trabalho". Mas estava claro que não era nada disso. Aliar campeonato Inglês com a Copa da Uefa e sem um grande técnico é uma tarefa complicada, ainda mais quando se trata de um elenco limitado quanto o do Bolton. O time possui uma campanha medíocre até então no campeonato inglês, com 5 pontos conquistados em 10 jogos. São 7 derrotas, dois empates e somente uma vitória.

Na Copa da Uefa os resultados negativos também apareceram. Contra o modestíssimo Rabotnicki, da Macedônia, o time empatou o primeiro jogo e venceu o segundo com um gol de diferença. Classificado para a fase de grupos, o time está no E, ao lado de Bayern de Munique-ALE, Braga-POR, Estrela Vermelha-SER e Aris-GRE. Não será um grupo fácil e a não classificação para a próxima fase deixará o time em uma situação de crise extrema.

Mas o que fazer para reverter essa situação?

O time do Bolton, como já foi mencionado, possui um elenco fraco, contudo, o plantel apresenta alguns jogadores que fazem os torcedores pensar em uma reação e chegar no meio de cima da tabela do Inglês. Para tanto, é necessário a contratação de um bom técnico e a reestruturação psicológica do plantel. Confiança é a palavra-chave, e ao que parece, ela está distante do time no momento.

A posição de astro do time continua com o atacante Nicolas Anelka. Depois de especulado em vários times, o francês renovou seu contrato até 2011, jurou amor pelo clube e é a grande arma do time para esta temporada. Até agora ele não decepcionou: é o artilheiro do Bolton na EPL, com 4 gols.

Outros nomes merecem destaque no time do Bolton, a começar pelo gol, com o muito bom goleiro Jaaskelainen. O finlandês é o jogador com mais experiência no Bolton, com mais de dez anos no clube, e tenta "segurar as pontas" lá atrás. Na defesa, aliás, o time encontra o seu principal problema. Depois da saída de Tal Ben Haim, que foi para o Chelsea em transferência livre, o time ficou com o sistema defensivo fraco. O marfinense Abdoulaye Meite é o único que merece ser citado. Se o time quiser brigar por alguma coisa a não ser pela permanência na primeira divisão, tem que contratar um bom zagueiro o quanto antes.

O meio de campo tem sua formação ideal com Gary Speed, Ivan Campo, Kevin Nolan e Stelios Giannakopoulos. Não, com esse meio de campo, o time não merece estar em último. É bem verdade que Campo e Stelios se contudiram e pouco jogaram neste início de temporada, e a volta deles pode dar um novo ânimo à equipe. Speed continua como jogador referência no meio, e aos pouco ele prova seu bom futebol e junto com Anelka, merece ser poupado de severas críticas.

No ataque, além do "astro do time", o Bolton tem Diouf e Kevin Davies. Ambos estão muito ruins até então e só para se ter uma idéia, nem um gol sequer a dupla marcou no campeonato inglês. Eles fizeram uma boa temporada 2006/2007 e têm capacidade de marcar seus 10 gols cada, mas se não acordarem agora, depois poderá ser tarde demais.

Por fim, se o Bolton ainda sonha com uma boa campanha no campeonato Inglês (10ª posição, por exemplo) é iminente que o time reaja o quanto antes. Caso contrário, ao invés de lutar por uma 14ª posição, a briga será contra o rebaixamento.
Muitos acreditam que, depois do início desastroso, o Bolton é um sério candidato ao rebaixamento. Entretanto, há de se ressaltar que o time tem jogadores de valor, a Premier League e a Copa da Uefa ainda estão no início e, se um bom trabalho de recuperação for feito, o Bolton tem sim condições de sair dessa crise. E mais, times como Derby County, Birmigham, Sunderland e até Wigan ou Fulham possuem elencos teoricamente inferiores ao do Bolton...

Creio que o Bolton ainda não se encaixa no perfil de clube certo ao rebaixamento. Aposto em uma reação não tão distante. E você, acha que o Bolton tem condições de sair da situação que se encontra?

_________

Falar que Lucas Meneses está sem tempo já é virou pleonasmo... infelizmente não estou em condições de mudar muito isso neste momento, portanto, peço-lhes desculpas pela carência de postagens no Blog. Espero reverter essa situação em breve.

Yomi Tella - morre o treinador da seleção sub-17 da Nigéria

Após seis semanas de conquistar o Mundial sub-17, o treinador Yomi Tella morreu, aos 56 anos, devido a um cancêr no pulmão.

Fica aqui o sinal de luto deste blogueiro.